Por que decidimos fazer isso? - Rolê na América
Rolê na América

Por que decidimos fazer isso?

Talvez seja tudo uma questão de necessidade.

Seres vivos tem necessidades básicas.

Seres humanos tem necessidades das mais diversas.

Quando Nikolas e eu nos encontramos, percebemos quase imediatamente que nossa visão das coisas importantes da vida eram muito parecidas. Tínhamos, ambos, uma certa aversão a todos os clichês e ao “roteiro pronto” que nos entregam para ser vivido já quando nascemos.

Você tem de crescer, estudar muito, se formar na faculdade, namorar tempo o suficiente, fazer um grande casamento na igreja com muitos convidados, roupas e comidas caras, comprar uma casa, ter uns dois carros, depois ter sucesso profissional e estabilidade financeira, só então ter filhos, envelhecer ao lado da mesma pessoa e… Morrer. Tudo isso tem de acontecer. Na ordem certa. Sem sustos, de preferência.

Nikolas e eu não curtíamos muito essa ideia. Não que ela não seja boa; só sabíamos que não nos faria feliz. Nós tínhamos outras necessidades.

Antes mesmo de eu me formar, quando ainda estávamos namorando à distância, um belo dia começamos a conversar sobre a vida após minha formatura (=alforria). E sobre as coisas que queríamos e precisávamos fazer. E foi assim que resolvemos que não precisávamos gastar muito dinheiro num grande casamento tradicional, por exemplo, nem nos estabelecermos numa cidade para “construir a vida”… E sim investir tudo o que tínhamos numa baita viagem.

Tínhamos necessidade de liberdade, de conhecer outros lugares, outras pessoas e de preencher  mais a cabeça, não tanto o bolso.

Casamos no salão de festas do nosso prédio, nossos trajes de noivos foram de lojas de departamento, estavam presentes umas 40 pessoas e duas belas chopeiras (mais caras do que os trajes, aliás – prioridades, né?).

Desde então, tudo o que fazemos é pensando em tornar essa viagem realidade.

E ver isso acontecendo tem sido maravilhoso!