Compramos uma Nissan X Terra 2004. Por quê? (Critérios, exigências e necessidades) - Rolê na América
Rolê na América

Compramos uma Nissan X Terra 2004. Por quê? (Critérios, exigências e necessidades)

A pesquisa durou aproximadamente 2 anos, desde que decidimos viajar. Definir marca e modelo levou cerca de 6 meses. A busca pelo carro se estendeu por uns 3 meses. Chegamos a negociar 5 veículos diferentes. Levamos 2 idênticos para uma profunda inspeção na oficina. Então, finalmente a jornada terminou: compramos uma Nissan XTerra 2004.

DCIM100GOPROGOPR4166.

 

Aqui a gente vai explicar o porquê desta escolha. Nossos critérios, exigências, necessidades, gostos e opiniões.

CRITÉRIO #1: FORÇA E ROBUSTEZ PARA REBOCAR UM TRAILER
Para puxar um trailer com determinado conforto e segurança, você precisa de um veículo tracionador que reúna basicamente 3 virtudes: capacidade de tirar o veículo rebocado da inércia, capacidade de estabilizá-lo em movimento e capacidade de freá-lo sem problemas.

A Nissan XTerra é capaz de fazer tudo isso. O carro tem um motorzão 2.8 turbodiesel com 132 cv de potência e 34 kgfm de torque. Isso é mais do que o necessário para mover nosso trailer sem sofrimento.

Além disso, este é um carro de 2 toneladas, que tem um espaço curto entre o eixo traseiro e o engate de reboque, e possui uma suspensão rígida e confiável. Tudo isso significa mais estabilidade e menos risco de ser vítima do fenômeno “pêndulo”, decorrente de um desequilíbrio físico entre o veículo e trailer, que pode ocasionar acidentes.

O peso do carro e seu sistema de freios somados ao baixo peso do trailer também oferece segurança nas frenagens.

CRITÉRIO #2: DIESEL É MAIS KM POR MENOS R$
No começo, nosso conhecimento em mecânica era nulo. Após muita leitura, fomos entendendo algumas coisas, como as diferenças entre motores a diesel e a gasolina. A conclusão geral é de que não existe um melhor ou pior. O que existe é o mais e o menos adequado, dependendo do uso. Considerando as características da nossa viagem, percebemos que um carro a Diesel seria o ideal.

Os motores a diesel consomem um volume menor de combustível, oferecendo mais autonomia para viagem. Já nos primeiros testes com a nossa XTerra, percebemos que ela pode ter uma autonomia de até 850 km na estrada. Isso é perfeito para encarar longos trechos inabitados com tranquilidade. A XTerra faz entre 11 e 14 km/l e tem um tanque de 72l.

Um carro do porte da Xterra com motor a gasolina costuma ter o consumo rodoviário na faixa dos 6 a 8 km/l, precisando de muito mais volume de combustível, mais paradas e mais dinheiro (em todo o continente, o litro da gasolina é mais caro).

Outro aspecto interessante do motor a Diesel é a entrega máxima de torque em baixas rotações. Enquanto um motor a gasolina geralmente atinge seus picos de torque e potência a partir das 3.500 rpm, os motores a Diesel fazem isso mais “cedo”, a partir das 2.000 rpm. Isso proporciona maior conforto, agilidade e resposta para quem puxa um trailer.

CRITÉRIO #3: QUEM VÊ MARCA, NÃO VÊ MOTORIZAÇÃO
Escolher uma caminhonete é muito mais do que analisar os parâmetros marca, modelo e ano. A equação toda fica muito mais complexa quando você começa a avaliar o motor utilizado em cada versão.

Um mesmo carro, por exemplo, pode ter motor diesel da marca MWM, Cummins ou outra fabricante. Pode ser eletrônico ou não. Pode ser turbo ou não. Pode ter intercooler ou não. Pode ser 2.5, 2.8, 3.0, 3.2. E tudo isso precisa ser levado em conta. Cansa, mas é necessário.

> Marca do motor:
Em nossos critérios, tínhamos preferência pelos motores Cummins ou MWM. São as duas marcas mais consagradas de motores a diesel no planeta. Isso significa manutenção mais acessível independente do país. Além disso, os históricos das duas marcas são ótimos, com poucos problemas crônicos registrados. O fato da Xterra ter motor MWM foi importante na hora da decisão.

> Eletrônica nos motores
Ali na década passada, a partir dos anos 2000, a maioria dos carros começou ter muita eletrônica embarcada no veículo. A tecnologia que pertencia só aos carros mais sofisticados começou a tomar conta de todas as categorias. Apesar da eletrônica otimizar os motores, torná-los mais eficientes, econômicos e seguros, isso faz a manutenção ficar mais complexa. Em grandes centros urbanos é fácil levar o carro a uma oficina, plugá-lo nos computadores de diagnóstico e obter mão de obra qualificada. Porém, no interiorzão do continente a coisa não é bem assim. Desta forma, decidimos que daríamos preferência para carros com motorização mais simples e, portanto, antigos. A nossa Xterra é ano 2004 e se enquadra neste critério. O motor MWM é totalmente mecânico. As Xterra 2005 (se não me engano), já possuem outro motor. Do mesmo fornecedor, porém mais moderno e eletrônico.

> Tem que ser turbodiesel
Até o começo dos anos 2000, muitas pick-ups e SUVs possuíam motor a diesel aspirado, ou seja, sem turbocompressor. E a presença do turbo faz toda a diferença na potência e torque, podendo até dobrar estes números. Por isso nossa exigência por um motor turbodiesel.

> Intercooler para não esquentar a cabeça
Um carro de 2 toneladas, carregado, com um motor turbodiesel, rebocando um trailer de 1000 kg, subindo a Cordilheira dos Andes. O superaquecimento parece iminente, certo? Por este motivo demos preferência aos carros com Intercooler, um sistema que refrigera o ar antes dele entrar na admissão do motor, permitindo que o carro entregue mais torque e potência reduzindo o risco de problemas decorrentes de superaquecimento.

> 2.8 é suficiente?
É. Principalmente com a presença do turbocompressor. O nosso carro possui potência e torque suficientes para uma viagem segura e confortável e ao mesmo tempo é relativamente econômico. Alguns carros desta categoria possuem motor de até 3.2 litros, o que tornaria a viagem mais confortável – porém mais cara.

CRITÉRIO #4: PRECISAVA SER 4×4
Muitas vezes questionamos a necessidade da tração nas quatro rodas, sendo que nossa viagem é 95% em estradas pavimentadas. Mas decidimos incluir este pré-requisito entre nossas exigências em função da possível utilidade em situações adversas. A chance de precisarmos do 4×4 é baixa. Mas o risco de não ter este reforço na aderência é altíssimo.

O 4×4 passou a ser ainda mais importante quando decidimos comprar um trailer. Campings raramente são pavimentados e é bem provável que tenhamos que manobrar nossa casa em grama, terra, cascalho, brita, ladeira e sabe lá deus o que mais.

CRITÉRIO #5: PRECISAVA CUSTAR R$ 45.000
Esse critério nem foi uma escolha hahaha. Desde o começo, o que tínhamos para gastar no carro era isso. R$ 45.000 + 5.000 de manutenções preventivas. Este fator, com certeza, dificultou nossa busca. Com 10 mil a mais disponível, teríamos acesso a um universo bem maior de opções. Mesmo assim fomos na garra, e achamos dois carros idênticos pelo mesmo preço: R$ 45.900. A escolha se deu pelo estado geral de conservação do motor, suspensão e acabamento.

POR QUE NÃO A FRONTIER?
A Nissan Frontier é um carro irmão da Xterra. Construído sobre o mesmo chassis e com a mesma motorização, o que os diferencia é a carroceria. Um é pick-up, o outro é SUV. Encontramos muitas Frontiers à venda na faixa de preço procurada. Porém, toda vez que visitávamos elas era uma grande decepção. Devido ao tipo de uso que se dá a esses carros (carga, sítio, trabalho), todos que testamos estavam super mal-cuidados. Desde o acabamento interno até a suspensão. Já as Xterra são, via de regra, carros de passeio.

captura-de-tela-2016-12-21-19-28-11

POR QUE A NISSAN XTERRA E NÃO OUTROS CARROS?

> Land Rover Defender:

É o sonho de todo aventureiro, mas o valor não contribui. É um carro infinito, porém caro. Não encontramos nada em nossa faixa de preço. Além disso lemos, de muitas pessoas viajando de Defender, que o carro é desconfortável e encontrar mão de obra é complicado, o que não é o caso da X Terra.

> Troller

Outro grande desejo barrado pelo valor. Trollers são sensacionais, mas não encontramos nada na nossa faixa de preço.

> Hillux SW4
Durante os mais de 2 anos de pesquisa, as Hillux Sw4 sempre esteve na liderança. Tudo o que se lê e se vê sobre este carro é sensacional. Porém, algumas coisas fizeram este carro cair para segunda opção em nosso ranking. O mais importante fator negativo é um histórico de quebra do bloco do motor causado por superaquecimento. E quebrar o bloco do motor é sinônimo de fim de viagem. Preferimos não arriscar.

> Ford Ranger
Lemos muita coisa boa sobra a Ranger, porém o que jogou contra foi o estado de conservação dos carros que encontramos. Foi tão difícil achar uma Ranger Diesel 4×4 inteira na nossa faixa de preço que desistimos dela.

> Chevrolet S10 e Mitsubishi L200
Todos os fóruns, artigos, notícias, releases e especialistas que consultamos falaram o mesmo destes carros: na faixa de idade e preço que queríamos (2004 a 2007, por 45 mil) seria um enorme problema. Estes carros tem um histórico super negativo em relação à motorização e superaquecimento. Descartamos cedo.

captura-de-tela-2016-12-21-19-13-04

  • MARIO ALAGÃO

    Muito bom artigo. Bons critérios de análise. Parabéns.

  • Eduardo Pimentel

    Queridos, e o consumo do carro com combustível gringo? Dizem que o combustível fora do Brasil é de uma qualidade muito melhor e que melhora cerca de 20% do consumo.
    Vocês tem a média de consumo em terras brasileiras e terras gringas? 🙂

    Curiosidades malucas hahaha

    • Nikolas Pacheco Müller

      Até agora não notamos diferença…Vem mantendo mais ou menos o mesmo que já fazíamos no Brasil! Mas se notarmos ao longo da viagem a gente comenta. Hehe 😉

      • Eduardo Pimentel

        Boaaaa!!

    • Evaristo Andrade Santos

      Para Gasolina o efeito é principalmente por não conter Alcool, mas utilizando diesel, não tem diferença não…

  • Fernando Acm

    Estou nessa luta de fazer a aquisição daqui a 1ano e 6 meses da xterra 2004 a 2008. Vi que de fato é um carro impecável, resistente, confortável e robusto. Ainda duvidoso sobre a questão “economia e manutenção” ??? Dizem que é um veículo que se mantém na faixa de 12 a 14 km/l , se for isso tá show. Coisa de carro 1.0.
    Meu grande receio tb é sobre manutenção e custo de peças para reposição, afinal são veículos com mais de 12 anos de uso e estou ciente de que a todo tempo terá peças pra repor?!?!
    Á mecânica de carros a diesel até 400 500 mil km são considerados novos ne isso?!?!
    Penso muito como o casal aí do fórum fez . Ter em caixa pelo menos 5mil reais pra possíveis manutenções que venham a surgir.
    Hoje eu tenho 30mil e estou levantando mais 15 mil pra daqui a 1ano e 6meses concretizar esse desejo.