Enfim fora do Brasil - Rolê na América
Rolê na América

Enfim fora do Brasil

Sim, nós conseguimos chegar ao Uruguai! Mas esta chegada, seguindo as tendências do início de nossa viagem, não poderia ser desprovida de emoções e reviravoltas, né?

Neste dia memorável, acordamos num posto Buffon 24 horas em Rio Grande, onde havíamos passado a noite na estrada. Acordamos às 6h da manhã, passamos uma térmica de café, pegamos nossas bolachinhas e saímos antes do sol aparecer.

A estrada de Rio Grande para o Chuí é um troço bem… peculiar. É praticamente uma linha reta de 200 km, com quase nada de civilização. Até certa altura, achamos a estrada bonita e interessante – até paramos pra fazer fotos do conjunto. Depois de um tempo, porém… que tédio! Ainda por cima, chovia muito. Pesquisei na internet (até ali ainda pegava 3G) e li a previsão do tempo: “Alerta Laranja: tempestade… ventos fortes, alagamentos.” Animador, hein?

200 km de absolutamente nada

Cerca de 3h depois, chegamos ao Chuí. Lugarzinho bem esquisito. Encostamos numa avenida na qual as fronteiras se encontram: de um lado é Brasil, de outro é Uruguai. Demos uma circulada, mas a chuva, que não parava, nos fez voltar correndo para o carro.

Agora o plano era ir até um posto, encher o tanque (no Uruguai é o dobro do preço) e partir para a aduana uruguaia para, entrando oficialmente no primeiro país da nossa viagem. Paramos no posto e aproveitamos para um café e salgados. Carro abastecido, trailer abastecido, Niko e Paulinha abastecidos. Partiu Uruguai?! Só que não ainda…

A chuva piorou. O vento sacudia as árvores – e o trailer. Decidimos não dirigir naquelas condições. Encostamos com o conjunto entre duas carretas, abrigados do vento, e ali ficamos.

Debatemos nossas opções e concluímos que não eram muitas: não era seguro sair dali rebocando um trailer num vento desses. Ficaríamos abrigados no carro até passar. Se preciso fosse, dormiríamos ali mesmo.

Usamos o que restava do plano de dados para mandar mensagens para as famílias. Aproveitamos para fazer a limpa no trailer e retirar tudo o que não era permitido passar pela fronteira. E aí, cerca de uma hora depois, o tempo melhorou. Ainda chovia, mas quase não ventava mais. Partimos, então, para a aduana.

Daí em diante, foi tudo muito simples: os trâmites na imigração foram super rápidos e tranquilos. Enfim… Fora do Brasil! Primeira parada: Parque Nacional Santa Teresa, a pouquinhos quilômetrs da fronteira.

Que virada, meus amigos! Já na entrada principal do Parque ficamos encantados: fomos super bem recebidos pelo guarda, o lugar era limpo, organizado, bem cuidado, e simplesmente lindo!

Até o sol deu o ar de sua graça, ainda timidamente, em meio às nuvens. Ainda sobrou tempo, no fim da tarde, para explorar a Fortaleza de Santa Teresa.

Primeiros momento de turismo, no Forte de Santa Tereza

Deitamos em nossa caminha naquela noite comentando que este, certamente, era o lugar mais incrível no qual já havíamos morado nas nossas vidas… E era apenas o primeiro acampamento da viagem.

Nosso endereço, durante os 4 primeiros dias de viagem

Paula abraçando o Forte: alívio por conseguir chegar no Uruguai. hahahaha

  • Miguel Maris

    Que legal, Nikolas! Fico feliz que tenham resolvido a questão da trinca no chassi do trailer. Vou acompanhar com atenção a viagem de vocês, pois quero fazer um roteiro menor, com de cerca de 10.000Km, ano que vem. Pergunto se pretendem registrar detalhes tipo: campings que ficarem, qualidade das estradas, postos de combustíveis, entre outras curiosidades. Desejo uma bela viagem ao casal! Abraços!
    Miguel

    • Nikolas Pacheco Müller

      Olá, Miguel! Que legal… espero que saia um blog ou uma página no face pra gente acompanhar tua viagem. A gente está registrando tudo… campings, noites em postos de gasolina, noites improvisadas na rua. Além disso registramos custos, endereços e até coordenadas de cada local. Vamos criar uma página aqui no site e colocar tudo num lugar só em breve. Abraços!!!

  • Eduardo Pimentel

    Aeee que dá hora. Mas fiquei curioso em que tipo de coisas não passariam na aduana? E o que vocês fizeram com essas coisas?

    Contando os km aqui, junto com vocês!

    Seria legal colocar nos posts qual a km do carro no momento da escrita. Hehehe 🙂

    • Paula Camila Schmidlin

      Nada de frutas, legumes, carnes, ovos.. nada do tipo! Comida só bem fechada dentro de uma embalagem! Jogamos tudo fora 🙁 no fim nem revistaram… Hahaha

      Boa ideiaaaaa vou tentar colocar o km nos próximos!

      • Eduardo Pimentel

        Que coisa!? Será que é medo de entrar, sei lá, uma carne contaminada no país deles? hehehe (vou anotando os comentários que eu fizer pra depois lembrar de perguntar tudo de novo pessoalmente! hahaha).

        Aeee coloca sim! Vai ser legal pra tentar administrar a km do carro a cada parada/post/foto! hehehe

  • Sonia Pacheco Müller

    Muito show as fotos… Lindas… Parabéns…

    • Paula Camila Schmidlin

      Obrigada! ❤😍

  • Fernando Henrique de Oliveira

    Show…mandem fotos!!! Muitas fotos!!! KKKK Boa viagem!

    • Paula Camila Schmidlin

      Pode deixar!! Obrigada! 🙂