Faltam 10 dias e sobram medos. Mas qual o problema em ter medos? - Rolê na América
Rolê na América

Faltam 10 dias e sobram medos. Mas qual o problema em ter medos?

Faltam 10 dias. As pessoas tem perguntado todo dia como estão os preparativos, se estou animada e como estou me sentindo agora que a viagem está tão perto.

E eu tenho respondido sempre: estou animada e ansiosa, mas também estou com medo. Mas, Paula… MEDO?! Dentro de 10 dias você vai partir para uma viagem pela América do Sul, vai passear, conhecer lugares e culturas novos, vai ficar 6 meses sem trabalhar e sem ter outras preocupações. Como assim, medo?

Pois é. Confesso que não achei que teria esse sentimento às vésperas da viagem. Achei que estaria doida pra ir logo e incontrolavelmente animada. Mas tenho tido medo, sim. E não há motivos para tentar negar esse sentimento. Pensando bem, agora, tenho achado ele bastante natural.

Nós, seres humanos, costumamos ter medo do que não conhecemos, do que não podemos enxergar com clareza e do que não podemos controlar: na infância é o escuro, por exemplo; conforme crescemos, passam a ser as responsabilidades, não conseguir pagar as contas no fim do mês, perder pessoas que amamos, ficarmos doentes, morrer…

Medos fazem parte da nossa vida cotidiana. E geralmente tentamos driblar isso procurando segurança em algo ou alguém. Procuramos segurança tendo uma rotina, um lugar pra morar, pessoas a quem recorrer, uma determinada forma de viver… Algumas pessoas mais, outras menos, mas todos procuramos segurança em algum nível.

Eu sou uma pessoa ansiosa. Nenhuma novidade nisso. Nos últimos meses fiz de tudo para me cercar de cuidados e seguranças nessa viagem. A gente estudou muito sobre muitas coisas – das botas de trekking ao carro e trailer, tudo foi pensado e calculado. Fizemos o possível para nos organizar financeiramente. Fizemos seguro saúde, temos toda nossa documentação (que já revisei duas mil quinhentas e cinquenta vezes).

Mas o maior desafio, nessa viagem e na vida, é que a gente não sabe o que vai acontecer. E que tudo que aprendemos é só… teoria. Dentro de 10 dias, começaremos a viver realmente e aí é certeza que vamos descobrir que tudo é completamente diferente do que a gente imaginou. É inevitável que um monte de coisa dê errado. Não importa quão cuidadosos sejamos.

Ao mesmo tempo, essa também é a mesma magia de sermos surpreendidos positivamente. Quando comecei a pensar e planejar essa viagem, acho que eu pretendia fugir. Sentia-me afundada e sufocada por pressões, cobranças e ansiedades. Queria uma vida mais leve, mais fácil talvez.

Agora, com a viagem chegando, começo a achar que meu plano de fuga falhou miseravelmente. E que é essa viagem mesmo, mais do que qualquer outra coisa que eu já tenha feito, que vai me jogar em direção a meus medos. E me fazer lidar com eles.

Pois sair da zona de conforto não é nada fácil. Mas existe outra maneira de aprender a viver?
Então, para lidar com esses medinhos e ansiedades que tem me cercado nos últimos dias, decidi algo que pode parecer bastante simples e até clichê, porém importantíssimo: não pensar demais no futuro. Estamos vivos hoje. Um dia de cada vez. Um passo de cada vez. Uma situação de cada vez.

Faltam 10 dias para a partida. Mas, na verdade, não importa o dia da partida. Importa: o que estou sentindo HOJE? E o que posso fazer HOJE? O que posso tirar de proveito e aprendizado HOJE?

– Paula Schmidlin

  • Vai com fé que o medo é normal, mas no fim tudo dá certo e até os perrengues vão ser lembrados com um carinho especial, o roteiro ficou legal, já fiz a parte de cima de moto (Rio Branco, Machu Pichu, Atacama e cia) e a parte de baixo de carro (Bariloche,Ushuaia, Peninsula, Esquel, El Calafete e cia), são viagens excepcionais.
    Cuidado com o frio se vão sair agora em maio/junho vão pegar bastante neve e vão precisa de correntes nos pneus. A travessia do Uruguai para Buenos Aires é cilada bino acho que vão pagar mais de 1000 reais fácil por ser trailer, quando fiz a viagem voltei até Buenos Aires e quando vi o preço preferi passa por terra compensa mais.
    Esqueçam Bariloche, logo perto terão Vila La Angostura e San Martin de Los Andes muito mais bonitas/baratas e com camping, “percam” bastante tempo em Torres Del Paine e El Chalten confesso que achei bem mais interessante que Ushuaia que também é um espetáculo.
    Cuidado com a policia na provincia de Entre Rios na Argentina vão arrumar todo tipo de desculpa para pegar propina então não esqueçam de acender o farol e tenha sempre em mão a carta verde e todos os documentos.

    Se precisam de alguma informação ou coisa do tipo estou a disposição.
    http://expedicaonosandes.blogspot.com.br/
    http://www.circuitosemrumo.com.br

    No mais curtam a viagem.

    • Nikolas Pacheco Müller

      Opa! Muito obrigado por todas as dicas, já anotamos aqui! Outras pessoas comentaram com a gente sobre o valor da travessia, no roteiro novo já alteramos para dar a volta por cima. Obrigado também pela disponibilidade.. Qualquer coisa entramos em contato sim. Abraço!