Punta del Este (não é só ostentação) - Rolê na América
Rolê na América

Punta del Este (não é só ostentação)

Punta del Este, a famosa e mais badalada cidade Uruguai. Cassinos, belos e caros hotéis, casas enormes, marinas, iates, baladas, restaurantes finos.

Que é que viemos fazer nesse lugar numa viagem como a nossa, gente? Hahaha. Mas, sim, viemos! Já que estamos aí, vamos descobrir qual é a desse lugar. E o que descobrimos é que não só de luxo se vive em Punta del Este…

Depois de 4 dias abrigados no Parque Santa Teresa e fazendo vários passeios em seus arredores, finalmente era hora de desmontar acampamento e partir para o próximo destino. Para lá seguimos preparando os bolsos, pois tudo o que lemos, pesquisamos e ouvimos indicava que Punta del Este seria uma das regiões mais caras da viagem.

Chegando na cidade, acabamos descobrindo que havia apenas uma opção de camping aberto nesta época, fora de temporada: o camping Punta Ballenna. Dito e feito: cada dia neste camping nos custaria exorbitantes (para nosso nível de gastos) 710 pesos uruguaios (cerca de 25 dólares). E isto porquê fizemos cara de susto quando ouvimos o preço e ganhamos descontinho no valor da diária…

Paciência, né? Pelo menos o camping era realmente muito bom! Excelente atendimento, estrutura, e muito espaço.

Café da manhã com programação de roteiro no camping em que ficamos, Punta Ballena

Escolhemos nosso canto, montamos tudo e decidimos sair para jantar. Foi a primeira vez na viagem que saímos para comer fora! Todas as outras refeições foram preparadas no trailer, o que nos ajuda a economizar. Mas Punta del Este parecia um bom lugar para conhecer à noite. Fomos para a famosa Avenida Gorlero, deixamos o carro na rua mesmo e demos uma caminhada. O frio e o vento intensos nos obrigaram a interromper logo a caminhada e procurar um estabelecimento quentinho e barato para a janta.

Encontramos uma pizzaria legal, com bom preço e o querido wi-fi grátis. A pizza estava ótima, mas não houve mais muito para onde passear… Estava tudo deserto ali naquela noite. E a gente achando que ia encontrar um monte de movimento! Então, voltamos para o camping e fomos dormir.

No dia seguinte, saímos para explorar a cidade. Começamos parando na Marina. Sentamos no deque, observando os barcos. O dia estava lindo, de um céu azul sem nuvens. Tínhamos trazido junto nossa térmica cheia de café. Ali ficamos, sentados no sol tomando café, olhando o mar. Que serenidade e plenitude, minha gente! Em pleno dia útil, sem pressa, curtindo o mar, a brisa, as gaivotas, comentando os barcos atracados na Marina.

A marina, ainda mais bonita nessa bela e ensolarada manhã 🙂

Depois, saímos para caminhar pela cidade. A paisagem vai se transformando: Punta del Este tem uma orla cheia de prédios e casas enormes, verdadeiros palácios, daqueles jardins grandes e bonitos sem muros. Depois, subindo as ruas em direção à região mais antiga, nota-se um ar de decadência. Ainda assim, tudo é bonito, limpo e organizado.

Depois, pegamos novamente o carro e fomos para a praia do outro lado, para ver a famosa “La Mano” – aquela escultura dos dedos para fora da areia da praia, representando a ação do homem em meio à natureza. Pra sermos sinceros, não vemos nada demais… Hahaha. Mas claro, pelo cartão postal e pelo valor simbólico que a escultura tem, fomos até lá e tiramos nossas fotos.

Foto clássica de turista na famosa escultura “La mano”

Por fim, reservamos a tarde para visitarmos o Museo Casapueblo, e dado o valor do ingresso, queríamos ter tempo de aproveitar MUITO bem. Mas sobre esse museu… Ah, esse museu! Vocês vão ter de esperar mais um pouquinho pra ler nosso relato a respeito. Pois ele merece um post especial e exclusivo, um lugar só dele neste blog – tipo o lugarzinho que Vilaró tomou na gente. Hahaha